Publicidade

Arquivo de maio, 2016

segunda-feira, 30 de maio de 2016 Entrevistas | 20:59

Kamau e DJ Nyack explicam relação com os discos de vinil

Compartilhe: Twitter

É inegável que a cultura dos discos de vinil teve uma grande retomada de fôlego nos últimos anos, mas para muita gente ela nunca saiu de moda. Para músicos, como o rapper Kamau e o DJ Nyack, os LPs sempre fizeram parte de suas vidas – mesmo depois do surgimento de iPod, MP3 e streaming.

Kamau

Leia mais »

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 23 de maio de 2016 Agenda | 14:55

A espera chegou ao fim: o Wilco fará show no Brasil em outubro

Compartilhe: Twitter

O sofrimento dos fãs brasileiros de Wilco chegou ao fim nesta segunda-feira (23), quando a banda foi anunciada como a atração principal do Popload Festival, que acontece em São Paulo em outubro. Este será o primeiro show do grupo no País desde 2005.

unnamed (5)

 

A banda vem ao Brasil para apresentar seu mais recente álbum, “Star Wars”, lançado no ano passado, mas também terá no repertório do show as músicas de seus discos mais antigos, principalmente o clássico “Yankee Hotel Foxtrot”, de 2002.

Além de Wilco, o Popload Festival também terá shows de Battles e Ava Rocha. O festival, que já trouxe Belle & Sebastian, The XX e Iggy Pop, ainda irá anunciar mais atrações.

O Popload Festival acontece em São Paulo no dia 8 de outubro. Os ingressos já estão à venda no site do evento e custam entre R$ 150 e R$ 700.

POPLOAD FESTIVAL 2016
Data: 08 de outubro (sábado)
Local: Urban Stage (Rua Voluntários da Pátria, 498 – Santana – SP)
Abertura das portas: 15h
Classificação Etária: 18 anos (proibida a entrada de menores de 18 anos)
Capacidade: 8.000 pessoas
Ingressos:
Pista Premium: R$250,00 (meia-entrada) e R$500,00 (inteira)
Pista 1º Lote: R$150,00 (meia-entrada) e R$300,00 (inteira)
Camarote: R$350,00 (meia-entrada) e R$700,00 (inteira)

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 19 de maio de 2016 Agenda | 19:51

Criador do selo RISCO lamenta crise na música brasileira: “A extinção do MinC é uma vergonha e um retrocesso enorme”

Compartilhe: Twitter

Em meio a um turbilhão de emoções pelo qual quem trabalha com cultura no Brasil está passando nos últimos dias, o selo RISCO encontrou um motivo para celebrar: o lançamento da coletânea inédita “RISCO #001”, que acontece nesta quinta-feira (19) em São Paulo.

capa-risco

Com nomes como O Terno e Charlie e os Marretas em seu catálogo, o selo gerenciado por Guilherme de Jesus Toledo lança seu primeiro disco e, para isso, reuniu novas versões de músicas conhecidas de suas bandas.

“Ter um selo próprio é a realização de um sonho pessoal”, resumiu o empresário sobre sua experiência com o RISCO, criado em 2015. “A possibilidade de investir em artistas em que acreditamos e acompanhar a carreira e o dia-a-dia desses músicos, que passam a fazer parte da nossa família, é o que nos motiva”, contou.

A paixão pela música fala ainda mais alto quando o momento atual do País é levado em conta, uma vez que o setor foi um dos mais atingidos pela crise econômica. “Alguns preços do mercado subiram, enquanto os investimentos estão cada vez mais escassos e direcionados, ou então até sumindo”, afirmou. A crise política também contribui para o caos no setor, ainda mais com o fim do Ministério da Cultura. “A extinção do MinC é uma vergonha e um retrocesso enorme”, definiu.

Veja abaixo a entrevista completa com Guilherme de Jesus Toledo, do selo RISCO:

Faixa1: O que as oito bandas do selo têm em comum? Como elas conversam entre si?
Guilherme de Jesus Toledo: O RISCO é a junção de alguns músicos e produtores que possuem diferentes projetos e atuações. Atualmente são 10 bandas, umas 30 pessoas que permeiam diversos projetos das mais variadas formas, seja compondo, tocando, produzindo, planejando, acompanhando. O Gabriel Basile, por exemplo, é baterista d’ O Terno, do Grand Bazaar, do Noite Torta, do Memórias, toca percussão nos Marretas, e ainda de quebra vai numas gravações da Luiza Lian dar uns pitacos nas músicas. Nosso mais novo artista do casting é o Música de Selvagem, um projeto de um parceiro nosso, Arthur Decloedt, no qual o Filipe Nader saxofonista dos Marretas também toca. Enfim, é uma salada com ótimos ingredientes, que dependendo da mistura que eles criam, gera um delicioso resultado.

Faixa1: O que representa para você ter um selo próprio?
Guilherme de Jesus Toledo: Ter um selo próprio é a realização de um sonho pessoal. A possibilidade de investir em artistas em que acreditamos e acompanhar a carreira e o dia a dia desses músicos, que passam a fazer parte da nossa família, é o que nos motiva. Num mercado cada vez mais mutante e sem um “caminho das pedras”, acho cada vez mais importante iniciativas de selos que movimentam cenas, públicos, festivais e casas pelo Brasil todo, e acima de tudo, estão investindo e apoiando artistas num mercado completamente louco, rápido e informal.

Faixa1: Quais são as dificuldades de manter um projeto como esse?
Guilherme de Jesus Toledo: Ter um selo de música hoje em dia é uma tarefa bastante desafiadora. Os modelos desse novo mercado da música mudam a todo momento, e o que vemos é um mercado diariamente mutante. Só não pode ficar parado esperando, porque se não já foi, passou, perdeu. A dificuldade está em achar o ponto de equilíbrio com cada um dos artistas, e entender que cada banda é um universo completamente diferente, o que resulta em demandas e expectativas diferentes. Acredito que cada vez mais as iniciativas feitas com verdade, imersão, cuidado, calma, estratégia, carinho e dedicação terão seus espaços e público. Assim como já acontece. Aliás, hoje se produz muita coisa boa no Brasil, muita mesmo, que eu nem fico sabendo, mas já tem uma galera pirando! Inclusive atualmente no mercado de música independente a oferta de música boa é bem maior que a demanda do público e dos espaços. Ou seja, todos nós agentes da música ainda temos muito a construir em formação de público, aí sim teremos um real mercado independente e sustentável.

Faixa1: Como a crise econômica afetou a música?
Guilherme de Jesus Toledo: A crise que vivemos afeta o povo como um todo, e claro, estamos nessa também. Alguns preços do mercado subiram, enquanto os investimentos estão cada vez mais escassos e direcionados, ou então até sumindo. A extinção do MinC é uma vergonha e um retrocesso enorme, que só exemplifica o caminho errôneo desses sujeitos que assaltaram nossa democracia. O que mais me preocupa é a crise política e de valores que o Brasil atravessa, e os resultados que isso nos traz como sociedade. Uma coisa boa isso tudo já está criando: uma nova geração de jovens mais abertos, justos, participativos, mais ativos. E finalmente nós brasileiros estamos entendo o valor do cidadão político, que existe a todo momento nosso em sociedade, e não apenas no “dia da eleição”. As pessoas precisam sair do seus algoritmos e enxergar o país em que vivem.

Lançamento do RISCO #01
19 de maio – quinta-feira, às 20h30
entrada gratuita (retirar convite no local com uma hora de antecedência)
Centro Cultural São Paulo / Sala Adorniran Barbosa (r. Vergueiro, 1000)

Autor: Tags:

Agenda | 17:31

AIR fará show em São Paulo em novembro

Compartilhe: Twitter

sentireascoltare-Air-Band-1200x675

O Popload Gig vai comemorar 10 anos em grande estilo: com um show do AIR em novembro, em São Paulo.

A banda francesa trará à capital paulista seu próprio show de aniversário, parte da turnê de comemoração de 20 anos de estrada. Jean-Benoît Dunckel e Nicolas Godin devem mostrar os grandes hits de sua carreira, como “Sexy Boy”, e as músicas de seu mais recente álbum “Music for Museum”, de 2014. Antes de vir ao Brasil, a banda fará uma temporada nos festivais europeus, entre eles o Primavera Sound, que acontece em junho em Barcelona.

O AIR toca no Audio Club em 15 de novembro. Os ingressos para o show já estão à venda no site do Popload Gig e custam entre R$ 120 e R$ 240.

Autor: Tags:

terça-feira, 17 de maio de 2016 Agenda | 20:29

A vitória do funk: MC Bin Laden fará show no MoMA, em Nova York

Compartilhe: Twitter

O funk tem se firmado cada vez como o gênero musical mais empolgante do Brasil e mais uma prova disso foi dada nesta terça-feira (17), quando o Museum of Modern Art de Nova York anunciou que sediará um show do MC Bin Laden em julho.

BoilerRoom_Branko_RedBullStation_04Set15_SP-58

O funkeiro paulistano será um dos artistas que tocarão no “Warm Up 2016”, série de eventos que começa em 11 de junho para celebrar o verão em Nova York.

Bin Laden se apresentará na cidade americana em 23 de julho ao lado do produtor português Branko, repetindo um show que ambos fizeram na Red Bull Station, em São Paulo, no ano passado. Além deles, tocam no mesmo dia Kamaiyah (EUA), Maluca Mala (EUA), Milka La Mas Dura (República Dominicana), IMAABS (Chile) e Endgame (Inglaterra).

Os shows do “Warm Up 2016” vão acontecer no MoMA PS1, uma espécie de anexo do Museum of Modern Art em Long Island, no Brooklyn. A programação completa do evento está disponível no site do museu. Relembre abaixo o show de MC Bin Laden no lançamento do disco “Atlas”, de Branko, em São Paulo:


MC Bin Laden Boiler Room X Red Bull Music… por brtvofficial

Autor: Tags:

terça-feira, 3 de maio de 2016 Novidades | 19:12

Mocho Diablo aposta no rock de garagem no clipe de “My Enemy”

Compartilhe: Twitter

As bandas de garagem talvez não existam mais, mas o garage rock segue bem vivo. A mais nova banda a beber nessa fonte é o Mocho Diablo, que lançou o clipe de “My Enemy”, faixa do álbum “Monochrome”.

Divulgação

A música tem uma energia enorme e um som bem cru que deleita os ouvidos de quem curte um bom rock de garagem. Eles se definem como um ponto de encontro entre o rock dos anos 1960 e o grunge dos anos 1990 – e mostram isso muito bem.

O que mais chama atenção em “My Enemy” é a vibração e a força do som, que empolgam quem está ouvindo. “A gente joga a ênfase nos riffs, que são altos e pesados, não importando se conduzidos pela guitarra ou pelo baixo. Tudo bem amarrado por uma linha melódica característica dos anos 90, mas encharcada da crueza punk e de referências setentistas”, explica o vocalista Gui Klaussner.

A faixa “My Enemy” pode ser ouvida abaixo e o disco “Monochrome”, lançado no ano passado, está disponível nas plataformas de streaming.

Autor: Tags:

segunda-feira, 2 de maio de 2016 Agenda | 21:22

Vento Festival terá shows de Jaloo, Johnny Hooker e Aldo, The Band

Compartilhe: Twitter

Um dos festivais mais legais do circuito de música independente, o Vento Festival volta a Ilhabela entre os dias 9 e 12 de junho, desta vez com Jaloo, Johnny Hooker e Aldo, The Band no lineup.

Aldo, the Band (Crédito: José de Holanda)

Aldo, the Band (Crédito: José de Holanda)

A segunda edição do festival gratuito agora acontecerá na Praia do Perequê com um palco onde vão rolar DJ sets e discussões sobre “ideias para o futuro”. A estrutura do festival também terá uma área de descanso com redes e praça de alimentação.

Além de Jaloo, Johnny Hooker e Aldo, The Band, também estarão no Vento Karina Buhr, Flipe Catto, Serge Erege, Russo Passapusso e Aláfia. Mais nomes devem ser anunciados até junho, entre eles bandas escolhidas através de uma votação no evento oficial do festival.

Todas as informações sobre o Vento Festival 2016 vão estar disponíveis no site oficial do evento e você pode relembrar nossa cobertura da primeira edição do festival aqui.

Autor: Tags: